Hey, você ai do outro lado. Você mesmo, que por algum motivo esta tirando um pouco do seu tempo pra ler o que eu escrevi. Esta tudo bem nada, estar bem. Sim você leu direito, esta tudo bem. Quantas vezes  estávamos péssimos por algum motivo ou até por motivo nenhum e por receio ou medo - ou os dois - fingimos estar bem, estar inteiros, estar felizes? 

Por que temos tanto medo de dizer a verdade. De colocar para fora toda a escuridão que existe dentro da gente? Por que temos tanto receio em mostrar o quanto somos humanos, o quão quebrados podemos estar? Quando foi que passamos a sufocar nossos sentimentos, nossos anseios, nossos problemas? 

É tão difícil guardar tudo pra si. Não é? Fica tudo tão pesado, tão apertado que parece que o que é que esteja dentro da gente pode explodir a qualquer momento, como aquelas bolhas de sabão gigantes, que crescem, crescem, crescem e quando a gente pensa que ela pode crescer mais um pouco, explode? Já experimentou colocar tudo pra fora? Gritar e dizer pra si mesma que você não precisa guardar tudo isso, que você não precisa ser tão forte? Que TUDO BEM você querer chorar o dia inteiro porque está difícil de suportar?

Conselho de quem não consegue dizer tudo que quer com facilidade: explode. Corre pra um lugar quieto e sozinho e grite e chore e põe toda essa dor pra fora, mas grite mesmo, grite até sua garganta doer e você se sentir mais leve, mas aliviada, e se der vontade de chorar, chore. Tira todo esse peso de você, não deixe que essa escuridão acabe com o pouco de luz que ainda resta dentro de ti. 

E eu sei que isso não resolve tudo. Ainda mais se teu problema for psicológico, é muita coisa pra lidar. Mas as vezes precisamos admitir que não somos o Iron Man, ou o Superman ou a Wonder Woman, somos seres humanos sem super poderes - infelizmente - e não somos tão forte quanto a sociedade nos diz todos os dias que precisamos ser. Tira esse peso das suas costas. 

Entenda: esta tudo bem, não estar tudo bem... 

Com amor

De alguém que pouco a pouco esta aprendendo a conviver com suas limitações ❤



Hello! Hoje eu trouxe - finalmente - a resenha de Deixe A Neve Cair dos autores John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle,  o livro é disponibilizado para nós leitores brasileiros pela a editora Rocco. Faz quase dois meses que o li, mas andei tão preguiçosa ultimamente que estava sempre adiando uma resenha nova haha.



meu exemplar ❤



Resenha: Na noite de natal, uma inesperada tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio romântico, do tipo que se vê apenas em filmes. Bem, mais ou menos. Porque ficar presa à noite dentro de um trem retido pela nevasca no meio do nada, apostar corrida como os amigos no frio congelante até a lanchonete mais próxima ou lidar sozinha com a tristeza da perda do namorado ideal não seriam momento considerados românticos para quem espera encontrar o verdadeiro amor. Mas os autores bestsellers John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle revelam a surpreendente magia do Natal nestes três hilários e encantadores contos de amor, interligados, com direito a romances, aventuras e beijos de tirar o fôlego.




Então pessoal Deixe A Neve Cair é composto por três contos natalinos românticos, onde de maneira divertida e despretensiosa todas as histórias e todos os personagens se conectam de alguma maneira.

O primeiro conto é autora Maureen Johnson intitulado O Expresso Jubileu, onde conhecemos a história de Jubileu, isso mesmo Jubileu, onde ao viajar para a Flórida de trem se vê numa tempestade daquelas. Quando seu trem atola e ficar em um ambiente com 14 líderes se torna insuportável, ela decide se aventurar em meio a tempestade á caminho da Waffle House, uma lanchonete não muito longe de seu trem e aberta. Lá dentro Jubileu conhece Stuart um rapaz de coração partido que, depois de alguns minutos de conversa a convida para passar o natal com ele e sua família, pois ela e ninguém daquele trem conseguiria passar o natal com suas famílias por conta da tempestade. Ainda que desconfiada Jubileu acaba por aceitar, afinal ela não tem muitas opções e Stuart não deixa de ser um cara legal, se me permitem dizer, ela fez uma ótima escolha.

O segundo conto é do queridíssimo John Green intitulado O Milagre da Torcida de Natal, a história é sobre 3 amigos (Tobin, JP e Duke), que ao receberem uma ligação de um quarto amigo (Keun), decidem deixar os filmes do James Bond de lado para se aventurarem tempestade a dentro, tudo por quatorze líderes de torcida, o que eles não sabiam é a quantidade de presepadas em que iam se meter... e nos mostra ainda que ás vezes - quase a todo momento - as coisas estão bem na nossa frente, só precisamos enxergá-las.

O terceiro e último conto é da autora Lauren Myracle intitulado O Santo Padroeiro dos Porcos, aqui conhecemos Addie uma garota de coração partido e um cabelo colorido que não consegue sentir um resquício de alegria nesse natal, a saudade de seu ex namorado, e os erros que a levarem até o término, com talvez o namorado quase perfeito, não tornam as coisas melhores. Tudo piora quando Addie descobre que até suas duas melhores amigas a consideram uma pessoa egoísta. Fadada a mudar isso Addie faz de tudo para cumprir uma promessa, nem que para isso tenha que superar e enfrentar seu passado.


O que mais me encantou no livro foi o final, onde todas as histórias e todas essas vidas se conectam, milagrosamente ou não. Gostei de cada um dos contos, de cada história, de cada personagem, mas confesso que os meus contos favoritos foram O Expresso Jubileu e o Santo Padroeiro dos Porcos. Esta aqui é uma daquelas leituras divertidas e inebriantes, em que em dois ou três dias você já devorou o livro inteiro ansiando por mais haha. Eu super indico Deixe A Neve Cair para vocês, é muito divertido e intenso e cheio de amor.



"Em termos de personalidade. Escreve poesias secretamente ou algo assim? Dança pelo quarto quando acha que não tem ninguém olhando? É engraçado com você? Qual é a essência dele?"
"Eu sei que elas dão risadinhas enquanto eu gargalho de verdade, que elas mostram decote enquanto eu não tenho um para mostrar, mas, só para você saber, eu também sou uma garota - disse ela."
"Quanto a mim, eu o amava tanto que doía." 





Até a próxima :)